quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O amor por trás da Volcano Watch International

Quando você encontra o amor da sua vida, o passo seguinte é querer se casar com ele. E quando o casamento acontece bem ao lado de um vulcão, você vai querer tirar fotos de todos os outros belos lançadores de lava pelo mundo, certo? Bem, isso é incomum, mas aconteceu com Donna e Steve O’meara.
O casal se conheceu em 1986 e um ano depois casaram-se próximos ao vulcão Kilauea, no Havaí. Depois disso eles se dedicaram a tirar fotos de vulcões espalhados pelo globo e, em 1994, fundaram a Volcano Watch International, uma organização que faz pesquisas sobre os vulcões ativos no planeta.
A organização também educa pessoas que vivem próximas aos vulcões, explicando todos os riscos que correm quando a coisa esquenta e rola uma erupção.
Eles também trabalham na “National Geographic Society” e vivem em Kilauea.
Via Folha | Imagens: Steve and Donna O’Meara/VolcanoHeaven.tumblr.com

Estufa feita de Lego transparente


Lego! Aqueles blocos de montar que fizeram parte da infância de muita gente, também podem fazer parte da vida sustentável do planeta. Ao menos é isso que o designer britânico Sebastian Bergne mostrou quando construiu uma estufa totalmente com Lego.
A casa foi criada para participar do Festival de Design de Londres e conta com blocos transparentes para paredes e teto. Dentro, vegetais de verdade aproveitam todo o potencial da estufa de bloquinhos.

A proposta é simpática e bonita, mas será que construiremos casas com blocos similares ao Lego? E de plástico!?

Via Dezeen | I

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Siemens abandona parceria em energia nuclear com empresa russa



Boa notícia para quem não gosta da energia nuclear: a gigante alemã Siemens suspendeu seus planos de montar uma “joint venture” com a empresa russa Rosatom. 
Peter Loescher, executivo-chefe da Siemens, afirma que o motivo principal do recuo foi o afastamento alemão da energia nuclear. Em entrevista para a revista Der Spiegel, Peter diz que a companhia ainda prossegue a parceria com a Rosatom e também continuará vendendo materiais não nucleares para usinas, como turbinas.
Infelizmente a empresa não desistiu da joint venture por “causas nobres”: o acordo entre Rosatom e Siemens implicaria num cancelamento do acordo entre a alemã e a francesa Areva, mas esta última não gostou nada da ideia e entrou nos tribunais fazendo com que a Siemens desistisse do acordo nuclear. Há males que vem para bem, Siemens?

Via Info | Imagem: Getty Images

Filipinos criam lâmpadas feitas com garrafas PET




Poucas casas tem acesso a energia no país e onde a energia chega ela é cara (uma das mais cara da Ásia), então os Filipinos precisaram usar a criatividade para conseguir iluminar suas casas com poucos recursos e gastando menos ainda. Pensando assim os moradores conseguiram criar o que a gente vê alí na foto.

Pegue um pedaço de metal, que também pode ser alumínio, e faça um furo no meio. Depois você coloca uma garrafa PET cheia de água encaixada no furo e pronto, está feito uma invenção que vem tirando famílias filipinas do escuro: a lâmpada PET.
Funciona assim: As garrafas presas no suporte de metal são colocadas em furos no telhado da casa. Dessa forma a luz do sol reflete na água da garrafa e no metal, iluminando a casa com efeito equivalente a uma lâmpada de 50 ou 60 watts.
Ainda vai faltar luz a noite, mas a ideia pode ser copiada por aqui, ao menos onde a energia não chegou.

Via G1 | Imagem: BBC

Piscina Eco-Smart é a coisa mais parecida com um lago que você pode ter em casa



Esqueça a química forte do cloro, a energia gasta para aquecer a piscina e bombear a água até lá e aquele azul-sem-graça do vinil, pois as novas piscinas são lindas e ótimas amigas do meio-ambiente!
As empresas estão se especializando em construir piscinas “Eco-Smart”, que simulam um lago em sua área de lazer molhada. Para ajudar o meio ambiente, essas piscinas fazem algumas coisas diferentes das convencionais: Elas respeitam a topologia do quintal; suas cores são de pedra e madeira, para ficar mais natural; utilizam um sistema de filtragem que utiliza ozônio – sem cloro; bombas mais eficientes, para economizar energia; sistema de aquecimento solar.
E aí, agora que a primavera começa a chegar, não é uma boa ter uma bela piscina ecológica em casa para fugir do calor com estilo e sustentabilidade?
Via Gizmodo | Imagem: Divulgação

Cientistas ingleses dão primeiro passo para baterias mais baratas



O que encarece e dificulta a produção de baterias recarregáveis de lítio são os separadores, feitos com polímero poroso. Eles são responsáveis por fazer os íons do material transitarem entre dois elétrons e impedir curto-circuitos. Porém cientistas da Universidade de Leeds, na Inglaterra, criaram um novo gel polímero que poder usado no lugar do separador comum, o que baratearia o custo de produção dessas baterias.
Mais do que deixar mais barato, esse gel polímero possibilita que as baterias fiquem menores, sem perder a capacidade energética, já que o processo de montagem será diferente do atual.
Chefiados pelo Professor e pesquisador em Física, Ian Ward, os cientistas da Universidade estão procurando parceiros comerciais para colocar em testes maiores essa nova forma de fazer baterias recarregáveis que poderão ser usadas em aparelhos eletrônicos (como rádios, celulares, notebooks) e até nos carros elétricos.
Minha maior expectativa é a produção de pilhas/baterias recarregáveis por preço menor para popularizá-las de uma vez acabando com as de carga única.


Via Info | Imagem: Flickr/Dwayne Madden

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

“Todo esgoto do Rock in Rio será tratado



Quem afirma isso é a Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro que, na última quinta feira, inaugurou o sistema de esgoto da Cidade do Rock.
Segundo a Cia, controlado pelo governo estadual, a meta é tratar e destinar corretamente todo o esgoto produzido no festival e daí enviá-lo para duas estações de tratamento e, por último, para o emissário submarino da Barra da Tijuca.
O sistema terá capacidade de atender até 140 mil pessoas por dia de evento e transferir até 151,2 mil litros de esgoto por hora, um volume de 3,63 milhões de litros por dia.
A obra é muito importante para a cidade, já que vai ajudar a diminuir a poluição da Lagoa de Jacarepaguá e será usada no Parque Olímpico, que será construído no mesmo local.

 Via Época | Imagem: Divulgação

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Torre Bionic-Arch quer ser o edifício mais verde do mundo



Taichung, em Taiwan, teve seu aeroporto movido para um novo prédio. Para o local do antigo, os urbanistas revolveram criar um prédio novo que fosse ecologicamente correto em todas as formas. Essa foi a ideia campeã de uma competição de design para a região.
O Bionic-Arch, da Vincent Callebaut Architects, foi orçado em US$85 milhões (o que parece muuuuuito barato) e será totalmente ecológico: 100% autossuficiente, emissão zero de CO2 (com certificação LEED Diamond), terá florestas verticais, plantas em jardins elevados e muitas outras coisas.
A torre ainda vai gerar energia solar e eólica, tudo com ajuda da biotecnologia e tecnologia botânica para fornecer energia aos moradores – sim, eu também quero morar lá – do prédio de 119m.
O mais legal é que ela venceu! Então deveremos mesmo ver isso de pé em alguns anos. Eba!

Via Gizmodo | Imagens: Divulgação

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Novo plástico é composto por escamas de peixe


Existe muita coisa de plástico no mundo e esse é um grande problema, já que boa parte do material é feita exclusivamente de petróleo. Agora começam a aparecer alternativas verdes para a produção desse material usado em quase tudo. O projeto mais recente, criado por Erik de Laurens, quer fazer plástico utilizando escamas de peixe que sobram dos pescados.
O projeto “The Fish Feast” (algo como a festa dos peixes) foi criado pelo designer para a conclusão do seu curso no Royal College of Art, em Londres.
Laurens diz que sempre sentiu alegria ao ver o mar e daí partiu a ideia de criar algo novo com matéria prima vinda das águas salgadas. Para transformar escama em plástico ele utiliza apenas calor, pressão e corante. O resultado você pode ver aí nas imagens ou no site dele.
O projeto procura investidores para poder sair do conceito e chegar ao consumidor.

The Fish Feast, Erik de Laures via Info | Imagens: Divulgação

Ilha do Pacífico terá energia solar e via óleo de coco




Aposto que você não sabe qual é essa estranha ilha, sabe? Toquelau é a resposta e, além do seu desenho “anelar”, a ilha chama a atenção pela sua nova politica energética: 93% da eletricidade será gerada por luz solar e os outros 7% devem ser alimentados por óleo de coco.
A ilha, que fica no meio do oceano Pacífico, não é muito alta: sua altitude máxima não passa dos 5 metros além do nível do mar. Esse é um dos motivos que fez o governo local (que é ligado ao da Nova Zelândia) estipular que até o meio de 2012 a ilha vai rodar quase que 100% com energia limpa.
Pela proposta apresentada somente veículos motorizados e alguns equipamentos de cozinha vão usar combustível fóssil. Os 1.500 habitantes da ilha que fica no território da Polinésia, não utilizam tanta energia. Seria interessante se países vizinhos, como a Austrália, se comovessem e passassem a controlar mais suas emissões de gases.

Via Folha | Imagem: Google Maps

Japão não vai mais lutar contra a dependência de energia nuclear



Falar de energia nuclear sempre é complicado. Mais ainda quando falamos do Japão, pois com seu espaço reduzido e alto consumo de eletricidade, esse sempre foi o tipo de geração mais utilizada.
Eis que neste março de 2011 vieram terremoto e tsunami e o mundo pensou que não seria boa coisa usinas cheias de radiação em ilhas que tendem a sofrer tantos desastres naturais e ataques do Godzilla . Por isso o antigo primeiro-ministro demonstrou a intenção de reduzir essa dependência nuclear, só que para o atual isso não é prioridade.
O novo primeiro-ministro japonês, Yoshihiko Noda, diz que a prioridade do governo tem que ser a reconstrução e a recuperação econômica, nada de aliviar a energia nuclear.
No médio para o longo prazo, podemos visar a minimização da nossa dependência da energia nuclear. (No curto prazo) devemos superar as duas crises nacionais, do grande terremoto e a econômica global.
Claro que o medo mundial em relação a energia nuclear foi inflado pelos efeitos devastadores da tsunami e que todas as usinas do mundo estão passando por reavaliações de segurança após os eventos em Fukushima, mas não é nada agradável ver um primeiro-ministro ignorando a causa das energias limpas para pensar só no dinheiro. É comum, mas não é legal.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Obra de da Vinci é chama a atenção para o degelo ártico




O volume de gelo na região ártica é o menor desde que começou a ser registrado. Para chamar a atenção pública para esse dado alarmante, o Greenpeace, em parceria com Johan Quigley, montou um “Homem Vitruviano” no gelo.
O famoso estudo do corpo humano feito pelo gênio Leonardo da Vinci foi montado pelo artista a pedido da ONG. Com isso eles querem que o mundo pare pra pensar nas ações do homem agindo no ambiente e como isso afeta ao próprio homem.
Segundo a Universidade de Washington (EUA), em julho de 2011 o volume de gelo ficou 51% menor do que a média e 62% menor que a medida máxima, estimada para 1979.
O Rio+20 vem aí e nós esperamos que decisões importantes sejam tomadas para diminuir – e acabar – com problemas do meio ambiente.

Via Folha | Imagem: Nick Gobbbing/Reuters

Peixes morrem misteriosamente no Rio Pardo



Na semana passada centenas de peixes apareceram mortos no trecho do Rio pardo que vai de Morro Agudo até Jaborandi. Ninguém sabe ao certo o que aconteceu, mas a Cetesb já trabalha com algumas hipóteses.
Segundo Davi Faleiros, gerente regional da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, os peixes morreram por conta do baixo nível de oxigênio na água, resta saber o que levou a isso.
Já foram coletadas amostras da água e dos peixes, com isso será possível fazer o exame de DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) para averiguar se a água ficou pior por conta de esgoto doméstico, lançamento de pesticidas no rio ou até álcool das usinas de cana que ficam por ali.
O resultado só deve ficar pronto no fim de semana.

Via Folha | Imagem: Edson Silva/Folhapress

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Conheça a produção de lâmpadas com material reciclável

video

O Engenheiro Fernando Kiszewski tem estudado com sucesso alguns meios de produzir lâmpadas LED através da reciclagem de material. 
Segundo Kiszewski, mais de 90% dos componentes eletrônicos empregado nos reatores de lâmpadas fluorescentes compactas apresentam condições de reutilização e proporcionam iluminação com baixo custo além de diminuir o impacto ambiental.

Coca-cola terá 750 caminhões elétricos ainda neste ano



Muito se fala sobre o consumo de água das fábricas da Coca-Cola, com relatos de que a legalidade das fontes pode ter, digamos problemas. Mas não se pode negar que diversas iniciativas verdes tem sido anunciadas pela empresa.
Os caminhões da Coke chegam praticamente em todo lugar do mundo. Só que agora, ao menos nos EUA, eles vão chegar sem emissão de poluentes já que a empresa informou que substituirá 750 caminhões da sua frota por modelos elétricos conhecidos como eStar.
O modelo não emite gases e vai rodar pelas cidades de São Francisco, Nova York, Washington D.C., Hartford e Los Angeles. Só com a ajuda desse caminhão a Coca deve deixar de lançar 10 toneladas de gases do efeito estufa por ano.
A empresa já conta com 650 veículos híbridos, mas esses serão os primeiros 100% elétricos e tem que contar com uma bela autonomia para garantir o serviço – e ele tem: autonomia de 100km e bateria com recarga de oito horas.
Caso precise, o caminhão pode simplesmente ter suas baterias trocadas por uma de cheia em apenas 20 minutos, assim o veículo não precisa parar e a bateria fica carregando.
Para ajudar ainda mais, o modelo eStar é feito com 50% de partes reaproveitáveis. Quando ele quebrar, ao menos metade pode ser literalmente reciclada!

Via Info | Imagem: Divulgação

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Eco jóias incluem ouro, borracha de pneu e muito estilo



Pra você que gosta de usar jóias e aguardava algo mais verde, já ouviu falar na designer Adriana Cauduro? Ela criou itens utilizando o melhor das jóias e o melhor da ecologia. O resultado ficou super bacana!
A coleção se chama “Flores do Asfalto” e leva materiais nobres (ouro, entre outros) e materiais de artesanato. Sendo principalmente, claro, borracha vinda de pneus.
Para ficar ainda mais legal, 10% de cada venda será revertido para as artesãs integrantes do Projeto Canoa, responsável por produzir peças com material que as indústrias do petróleo, de carros e a têxtil jogam fora.

Via Nosso Mundo Sustentável | Imagem: Divulgação

Google revela gastos de energia com seus data centers. É muito




Tudo que vem do Google tem muitos zeros à direita. É o que acontece quando se fala da empresa responsável por indexar a Internet e oferecer a maioria dos principais serviços usados pelo mundo todo.
Mas, como tudo é relativo, é preciso ter uma cautela muito simples antes de ver os números sobre consumo de energia do gigante.
Antes do grande G, para ver um filme você ia até a locadora, para se informar ia até a biblioteca ou comprava livros e revistas, para conversar enviava cartas, para fotos, impressão, para trabalhos cooperativos, servidores internos em empresas com alta ociosidade e ineficiência energética.
Enfim, nós economizamos uma quantia incalculável de energia, emissão de CO2 e consumo de materiais graças ao Google (e à Internet como um todo, que de certa forma se confunde com a empresa). Como se não bastasse, o Google há anos trabalha e investe na eficiência de seus data centers e foi além, pesquisando e se direcionando para a produção de energia limpa por conta própria.
Ok, aos números: os data centers da gigante em 2010 consumiram 2,259,998 MWh. Pra se ter uma ideia, essa quantia é a mesma gasta por 200 mil casas americanas – e lá eles gastam mais do que na maioria dos outros países. Um número interessante e que está demonstrado na imagem alí em cima, é que o uso dos serviços Google por um usuário comum consome o equivalente à 3 horas de uma lâmpada 60w ligada.

Via Gizmodo | Imagem: Google

A ONU quer ver você fazendo algo sustentável



A Conferência das Nações Unidas em Desenvolvimento Sustentável, conhecida como Rio+20, está marcada para o ano que vem, mas as ações já começaram. E a ONU quer que pessoas do mundo todo mostrem seus hábitos sustentáveis.
O que você – ou sua comunidade – faz de sustentável para ajudar o planeta? Jardins, coletas seletivas, melhorias no transporte público e todas as outras coisas que você pode ver/fazer na sua cidade devem ser fotografadas e enviadas para o site da campanha.
Lá a imagem vai entrar no mapa que aparece aí no começo do post e será vista por todos que entrarem lá no Pictures of the World. E aí, qual foto você mandou?

Pictures of the World, via Planeta Sustentável | Imagem: Divulgação

Animais derretendo pelo aquecimento global



“Está tão quente que estou derretendo” é uma expressão comum nos dias de calor e talvez tenham sido a inspiração para esse perturbador trabalho do artista japonês Takeshi Kawano que mostra animais literalmente derretendo por conta do aquecimento global.



Se uma imagem vale mais do que mil palavras, esse belo trabalho serve de alerta pelo futuro do nosso Planeta.

Via Joe’s Daily | Imagem: Divulgação

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Foto da Terra vista do espaço é bem curiosa, e pouco feliz



A Terra não está explodindo ou cheia de magma na superfície. Todo esse brilho é luz mesmo, e tem um motivo. Infelizmente, um dos piores: violência. Sabe onde é?
É na fronteira da Índia com o Paquistão, um dos locais mais perigosos do nosso planeta. A situação lá sempre é tensa, por isso os governos gastam muito para iluminar cada canto da região. Aquela linha laranja cortando de lado a lado? É a forte iluminação das barreiras fronteiriças.
Essa foto foi tirada por astronautas direto da Estação Espacial Internacional. Sobre a foto, a NASA diz:
A equipe da Estação Espacial Internacional capturou a imagem como parte de uma série contínua de frames, cada uma com um segundo de exposição para maximizar a coleta de luz. Infelizmente, isso também acaba borrando alguns elementos terrestres.
A imagem mostra Nova Deli, na parte de cima das luzes e Islamabad, na parte de baixo. São mais de 1.500 quilômetros iluminados para mostrar para todo mundo que os conflitos causam problemas em todas as partes. Aproveitando a proximidade do concurso de Miss Universo, vamos torcer pela paz mundial.

Via Gizmodo | Imagem: Nasa

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Amazônia está sendo desmatada para dar lugar a pastos


Num estudo inédito realizado pelo Inpe e Embrapa foi constatado que mais da metade da Floresta Amazônica desmatada serve para pastos. São mais de 70 milhões de cabeças de gado espalhados pela Amazônia Legal (área maior que o bioma Amazônia).
O fato é estarrecedor, uma das florestas mais importantes do mundo acabando para a criação de gado. Fora todas as manifestações anticonsumo de carne, há ainda muita terra no país que poderia ser usada sem ameaçar a floresta.
Dos 719 mil quilômetros quadrados, cerca de 110 mil são só para pasto sujo, aquelas com vegetação ou regeneração do pasto.
Isso deveria ser proibido por lei, ou melhor, a lei deveria ser aplicada, mas no Brasil…

Via Info

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Lixo, Olhar, Pensar e Mudar


Momento owwnn: 1.600 pandas comemorando o aniversário da WWF



WWF praticamente dispensa apresentações, sendo uma das principais ONGs do mundo na luta pela defesa dos animais e do meio ambiente. No próximo dia 11 a World Wide Fund for Nature completará 50 anos e para comemorar levou 1.600 pandas de papel machê para um lago em Genebra, produzindo estas simpáticas imagens.


panda é símbolo da WWF

Calcula-se que 1.600 seja mais que a metade do número destes ursos no mundo

Segundo a Lista Vermelha da IUCN o animal está “Em perigo” (de extinção)

Parabéns WWF, continuem com seu belo trabalho por muitas outras décadas!

Fotos: AFP via Terra

Cara de rolha


Será que você já viu 9217 rolhas diferentes na sua vida? Mais importante: O que fez com as rolhas que usou até hoje? Provavelmente deu um fim triste no lixo de sua casa ou uma reciclagem comum. Nada parecido com o que faz Scott Gundersen, de Chicago (EUA). Ele usa rolhas para fazer lindas telas. Confira.

No vídeo aí de cima você pode ver o artista usando todas as 9217 rolhas para fazer um belo trabalho que durou mais de 200 horas para ser feito (o filme mostra as últimas 50 horas com uma foto por minuto).
Ficou bonito, não? Agora comece a juntar todas as rolhas que ver por aí e quem sabe você não aparece por aqui depois de centenas de horas trabalhando.

Via Coletivo Verde / Imagem: Divulgação/Scott Gundersen

Uma bicicleta bem leve e prática pode facilitar a sua vida



Andar de bike é ótimo, mas as vezes você precisa caminhar e/ou depender de outro transporte. Ruim é quando você ainda está com a bike e precisa facilitar seu transporte. Alguns suportes pra carro até dão conta, mas não são práticos. Já existem aí no mercado algumas bicicletas dobráveis, mas elas nem sempre são “normais” quando montadas. Então a Regatta mostrou essa bike aí em cima que pesa 16 quilos e suporta até 105 quilos!

Ela fica assim quando está desmontada. Aí fica mais fácil pra você andar no metrô, no ônibus e até no porta-malas de um carro pequeno. O que não é tão pequeno é o preço: varia entre R$1 mil e R$1,4 mil.

Regatta via Nosso Mundo Sustentável | Imagem: Divulgação

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Igreja de papelão substituirá catedral derrubada por terremoto



Quando um terremoto de magnitude 6.3 atingiu Christchurch, na Nova Zelândia, em fevereiro, a catedral da cidade construída em 1864 veio abaixo. Enquanto muitos milhões de dólares e anos de trabalho não podem ser dispendidos, o arquiteto japonês Shigeru Ban vai construir um substituto temporário – com papelão.

A estrutura terá 24m de altura, quase a mesma altura da catedral original; a capacidade será de 700 pessoas; e será usada pela comunidade e por grupos musicais. O formato de A dos tubos que formarão a catedral tem uma explicação simples, garantir resistência, e também passam por um tratamento contra água e fogo.
Apesar do papelão, os tubos não ficam nada leves, pesando 500Kg cada, e serão construídos localmente, assim como a janela de vidro na frente. O alicerce será feito com contêineres.
Para que ninguém duvide da capacidade disso tudo dar certo, lembro que o arquiteto Shigeru Ban já é conhecido por usar papelão em seus projetos, por ser reciclável e muito resistente (depois de tratado). Em seu currículo está outra igreja de papelão em Kobe, no Japão, depois do terremoto de 1995. Esta foi desmontada e reciclada em 2005.
A estrutura de US$ 3,5 milhões deve ficar pronta antes do terremoto completar um ano, em 22/02/2012 – falta apenas à câmara municipal de Christchurch decidir o local da a construção. Assim como a japonesa, esta igreja pode ficar na cidade por dez anos ou até a igreja anglicana original ser reconstruída.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Rio Amazonas esconde um segredo: outro rio, embaixo dele



O Rio Amazonas é o segundo mais extenso do mundo, ficando atrás apenas do Nilo, embora sua vazão seja mais de 40 vezes superior à do Rio africano. A novidade é que cientistas afirmam haver um segredo lá embaixo dele: outro rio.

Nada menos do que 4Km abaixo do Rio Amazonas, cientistas encontraram o que tem sido chamado de Rio Hamza, em homenagem ao líder do grupo. Enquanto o irmão de cima tem entre 1 e 100Km de largura, o de baixo varia de 200 a 400km. Já a extensão é similar – nada mal.
A maior diferença está na velocidade: o Amazonas corre a cerca de 5 metros por segundo enquanto o Hamza, o gigante tartaruga das profundezas, se desloca um milímetro por hora.